top of page
DSC08458.jpg

Doenças Oftalmológicas

A Dra Andréia Laranjeira é médica oftalmologista, formada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, com residência médica em Oftalmologia, pelo Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Possui Especialização em Oftalmologia pelo Ministério da Educação e Cultura e Conselho Brasileiro de Oftalmologia, além de Especialização em Córnea e Catarata pelo Hospital de Clínicas de Porto Alegre, e em Plástica Ocular pelo Hospital Banco de Olhos de Porto Alegre.

Astigmatismo

Astigmatismo

O Astigmatismo piora a visão tanto de longe quanto de perto, numa proporção direta com o tamanho do erro refracional. É causado, geralmente, por uma diferença entre as curvaturas da córnea. Ao invés de ser esférica em sua porção mais central, uma córnea astigmata tem um eixo mais curvo que o outro.

Com duas curvaturas diferentes, assemelha-se a uma bola de futebol americano, comparando com uma córnea “normal”, que se assemelha a uma bola de futebol. 

 

O diagnóstico é feito pelo exame oftalmológico e pode ser corrigido com óculos, lentes de contato e cirurgia refrativa em córneas regulares.

Catarata

Catarata

A Catarata é caracterizada pela opacificação do cristalino, lente natural do olho. O principal sintoma é a visão desfocada mesmo com o uso de óculos. Pode também causar diminuição da sensibilidade às cores, halos ao redor da luzes, dificuldade em olhar para objetos brilhantes e miopia secundária.

A principal causa do desenvolvimento de catarata é o envelhecimento da população, quando ocorre a catarata senil. No entanto, crianças podem nascer com a doença, catarata congênita, e alguns fatores como diabetes, miopia elevada, trauma, radiação e exposição solar prolongada podem ser causas de catarata secundária.

O diagnóstico é feito através do exame oftalmológico com dilatação das pupilas. Nas fases iniciais da doença, os sintomas podem ser atenuados com o uso de óculos. Com a evolução da opacidade do cristalino, o único tratamento eficaz é a cirurgia para remover o cristalino opaco e substituí-lo por uma lente artificial.

Ceratocone

Ceratocone

Ceratocone é uma doença degenerativa, que afeta o formato e a espessura da córnea, provocando a percepção de imagens distorcidas. A córnea se torna cônica, perdendo a sua forma esférica original. Ocasiona o aparecimento de miopia e elevado grau de astigmatismo irregular, além da acentuada baixa da acuidade visual.

Atinge, em maior parte, adolescentes e adultos jovens progredindo até os 30-35 anos de idade, quando tende a se estabilizar. O ceratocone pode ser corrigido com óculos, quando muito inicial, e lentes de contato para casos mais curvos.

 

Quando a pessoa não tem uma boa visão com lentes de contato, uma cirurgia pode se fazer necessária, como o implante do Anel de Ferrara ou o transplante de córnea.

Conjuntivite

Conjuntivite

É a inflamação da conjuntiva, que consiste na camada externa da parte branca do olho. Pode ser causada por vírus, bactérias, agentes alérgenos, como poeira e pólen, e até mesmo produtos químicos. O sinal mais comum é o olho vermelho, podendo estar acompanhado de secreção, lacrimejamento, sensação de corpo estranho e coceira. Pode afetar um ou ambos os olhos.

Os casos virais e bacterianos são facilmente transmissíveis entre as pessoas. A prevenção deve ser feita lavando as mãos e evitando o contato com a pessoa contaminada e com os objetos em que ela encosta. O tratamento depende da causa subjacente e deve ser feito por médico oftalmologista.

Não se deve utilizar remédios caseiros para melhorar a inflamação, pois alguns agentes podem ser tóxicos para os olhos.

Estrabismo

Estrabismo

Estrabismo é a condição em que os olhos não estão corretamente alinhados entre si. Um dos olhos, ou os dois, em momento diferentes, desvia do objeto focado. Pode ocorrer de forma permanente ou ocasionalmente.

Quando se apresenta durante a infância, pode resultar em ambliopia, que é o não desenvolvimento da visão no olho desviado. Pode ser causado por disfunções musculares, hipermetropia, condições neurológicas, trauma ou infecções.

É chamado esotropia, quando desvia para dentro, exotropia, quando desvia para fora e hipertropia, quando os olhos estão desalinhados verticalmente. O tratamento é feito com óculos ou cirurgia conforme o caso.

Glaucoma

Glaucoma

O Glaucoma é uma doença ocular que provoca dano ao nervo óptico e perda da visão. A perda das fibras nervosas do nervo óptico e da retina é causada por um aumento da pressão intra-ocular e/ou má-perfusão capilar do nervo óptico.

 

Os dois tipos principais são os seguintes:

 

Glaucoma crônico: desenvolve-se lentamente e é assintomático durante a maior parte da sua evolução. Normalmente o paciente tem antecedentes familiares positivos, e pode ser um simples achado ao exame oftalmológico. Não cursa com dor forte ocular, mas as medidas de pressão ocular encontram-se geralmente elevadas. Com a evolução do glaucoma, a visão periférica do paciente acometido começa a ficar comprometida e ocorre um estreitamento do campo visual. Se tratado precocemente, é possível retardar ou mesmo parar a progressão da doença que pode ser tratado com colírios, laser ou cirurgia para diminuir a pressão do olho.

 

Glaucoma agudo: caracteriza-se por forte dor ocular acompanhada de cefaléia, visão turva, halos coloridos, náusea e vômitos. É causa de consulta urgente com oftalmologista. Se não tratado imediatamente, pode levar à cegueira ou a dano visual permanente. O tratamento geralmente é feito a laser, podendo precisar também de cirurgia.

Hipermetropia

Hipermetropia

Usualmente o olho dos hipermétropes são mais curtos que o normal e/ou tem a córnea mais plana. Sendo assim, a imagem se forma atrás da retina. A pessoa com hipermetropia enxerga de forma desfocada objetos próximos. Além disso, com graus mais elevados, a imagem à distância também fica prejudicada e pode causar dores de cabeça, astenopia e cansaço visual.

Entre os fatores de risco estão antecedentes familiares, alguns medicamentos e o envelhecimento. O diagnóstico é feito por exame oftalmológico e pode ser corrigida com óculos, lentes de contato ou cirurgia refrativa em casos específicos.

Hordeolo (Terçol)

Hordéolo (Terçol)

É uma doença das glândulas localizadas na parte interna da pálpebra. É causada por microorganismos conhecidos como estafiliococos. Caracteriza-se pelo aparecimento de um abscesso (espinha) localizado, vermelho, intensamente doloroso.

O uso de colírios e pomadas deve seguir uma prescrição médica, feita por oftalmologista.

Miopia

Miopia

A Miopia acomete cerca de 25% da população e esse percentual vem aumentando. Os míopes não enxergam bem objetos à distância, podendo enxergar bem aqueles mais próximos.


Usualmente são olhos mais longos e/ou com córneas mais curvas que o normal. Sendo assim, a imagem de seu sistema de convergência se forma antes da retina, deixando a imagem desfocada.

Além disso, a miopia pode causar dores de cabeça, astenopia e cansaço visual. Os fatores de risco incluem a história genética do paciente, fixação da visão prolongada em objetos próximos e a maior permanência em ambientes fechados.

A miopia é diagnosticada através do exame oftalmológico sob cicloplegia (dilatação das pupilas). E pode ser corrigida com o uso de óculos, lentes de contato ou cirurgia refrativa.

Olho Seco

Olho Seco

Ao piscarmos, forma-se um filme lacrimal. O olho seco ocorre com o rompimento precoce desse filme, deixando expostos à atmosfera, o epitélio conjuntival e corneano. Caracteriza-se por ardência, cansaço, sensação de fisgadas ou de corpo estranho no olho e “falta de lágrima”.

Existem diversas causas: produção insuficiente das glândulas lacrimais, evaporação rápida das lágrimas, deficiência na produção de substâncias que compõem a lágrima.  Estas causas são decorrentes de pouca produção ou de muita evaporação do filme lacrimal. Ocorre comumente em pessoas que abusam do uso de eletrônicos, em mulheres após a menopausa, em pessoas com doenças reumatológicas ou da tireóide por exemplo.

O tratamento geralmente é feito com medidas comportamentais, lágrimas artificiais e uma alimentação rica em vegetais, legumes, verduras e peixes. Em casos mais severos, tratamentos específicos são prescritos.

Presbiopia

Presbiopia

A presbiopia (vista cansada) é uma condição inevitável que surge, normalmente, em indivíduos após os 40 anos de idade em média, e decorre de uma perda de acomodação do cristalino (a nossa lente intraocular natural, que é responsável por focalizar a imagem na retina conforme a distância do objeto que estamos fixando, longe, perto ou em meia distância) e provoca uma dificuldade para a visão de perto. Pode ser corrigida com óculos, lentes de contato ou cirurgia.

Pterígio

Pterígio

É caracterizado pelo crescimento de uma pequena pele na superfície do olho que cresce do canto para o meio, sobre a córnea. É causado, em parte, pela luz do sol, poeira ou vento. Pode provocar queimação, ardência, vermelhidão, piorando se a pessoa ficar exposta ao sol ou a fatores de ressecamento ocular.

 

Na maioria dos casos, a cirurgia é indicada para sua remoção, antes que alcance a pupila. Se estacionar, não é necessário a remoção cirúrgica.

Convênios

extreme-closeup-enlarged-human-eye-with-beautiful-colors.jpg
unimed-novo.jpg
ipe-novo.jpg

Agende sua consulta

O CEM Laranjeira fica na Rua Augusto Pestana, 543, Centro, Canela/RS.

Horário de atendimento: 
Das 8h às 12h e das 13h30min às 18h

Agende sua consulta:
WhatsApp: (54) 9.9648-1593
Telefone: (54) 3282-1312
 

  • Facebook
  • Instagram
bottom of page